REC 2

by

REC começou a chamar a atenção desde que o primeiro trailer fora jogado na internet, e que traz uma cena independente, sem nada a ver com a trama do
filme em si: uma câmera sacolejante acompanha dois bombeiros que entram em um prédio e sobem as escadas apressadamente, no que parece o atendimento a uma chamada de emergência. A subida, acompanhada de perto pela câmera, é entrecortada por estatísticas como: “No último ano, os serviços de emergência na Espanha atenderam mais de 23 milhões de chamadas. Os bombeiros de Barcelona realizaram 15.003 operações: 4.171 incêndios, 4.059 resgates, 6.768 ocorrências em geral…”. Finalmente, a dupla de bombeiros chega a um corredor escuro, onde se vê apenas o vulto de uma menininha, e, enquanto ela pula para atacá-los diante da câmera que insiste em gravar tudo, entra a frase: “…e 5 casos sem classificação”. Uau!

O legal é que todo o inferno é mostrado aos olhos do espectador como se fosse real, e como se aquelas imagens que o espectador está assistindo fossem retiradas da fita sem edição gravada pela câmera da tal equipe de TV. Exatamente aquilo que já vimos antes em CANNIBAL HOLOCAUST e A BRUXA DE BLAIR: inúmeras cenas com câmera tremendo, imagem fora de foco, filmagem na mais completa escuridão registrando apenas os sons, etc etc. E, claro, a sensação incômoda e horripilante de que aquilo pode ser real – e eu sei que não é, mas que parece, parece!

Também surgiram outras tentativas mais ou menos elaboradas, mais ou menos conhecidas, antes ou depois destas citadas: da superprodução CLOVERFIELD a filmes obscuros como CODINOME 84 (onde um cinegrafista acompanha uma violenta missão de soldados na Guerra do Vietnã) e THE LAST BROADCAST (onde documentaristas amadores são atacados pelo Pé-Grande). Mas são raros os que conseguem pegar o espectador pelos cabelos e atirá-lo no meio da tensão e do pesadelo como REC. Inclusive se alguém jogasse pedaços do filme no YouTube, alegando que são reais, creio que boa parte dos internautas iria acreditar.

Há décadas que o cinema vem tentando emular a sensação de medo e desespero reais. E, antes do cinema, o rádio cumpria este papel: quem nunca ouviu falar daquele lendário episódio em que um jovem Orson Welles espalhou pânico pelos Estados Unidos ao encenar, via rádio, trechos da novela “A Guerra dos Mundos”, de H. G. Wells, como se realmente estivesse acontecendo uma invasão alienígena? Se hoje não acreditaríamos num golpe do gênero, o povo ingênuo da época, que acreditava que tudo que ouvia no rádio era verdade, não só acreditou como entrou em pânico com a possibilidade de a Terra realmente estar sendo atacada por marcianos!
E assim chegamos a REC, que também brinca com essa noção popular de que “se está passando na TV, é verdade”. Tanto que os roteiristas tiveram a idéia de fazê-lo após a ampla cobertura televisiva dos atentados de 11 de setembro de 2001. Os diretores Jaume e Paco não são marinheiros de primeira viagem, mas também não servem para veteranos: o primeiro dirigiu diversos filmes espanhóis de horror, entre eles A SÉTIMA VÍTIMA e TERROR EM MERCY FALLS; já Paco é mais conhecido no Brasil pelo sonolento ROMASANTA – A CASA DA BESTA, com Julian Sands.

Sem créditos de abertura, música ou nomes dos atores e da equipe técnica do filme, a história de REC começa com a repórter Angela Vidal (a bonita Manuela Velasco) gravando a vinheta de abertura do programa “Enquanto Você Dorme”, de uma pequena emissora de TV de Barcelona, na Espanha. Ela explica, diretamente para a câmera (e para o espectador, claro), que está acompanhando a madrugada num quartel do Corpo de Bombeiros de Barcelona. E, para fazer o espectador engolir a idéia de que tudo é real, a moça erra várias vezes a chamada, pede ao cameraman se sua mão aparece no enquadramento, etc. Tudo para parecer que o filme está mostrando a fita não-editada gravada pelo câmera, e que tudo que virá a seguir será real e sem cortes.

Para ter uma idéia do que é ver REC, imagine se os 10 minutos finais de A BRUXA DE BLAIR (os dois jovens correndo com câmeras para cima e para baixo numa casa escura) fossem estendidos para um longa-metragem. Assim é o filme espanhol: 1h15min de pura tensão e medo, sem trilha sonora, edição ou efeitos elaboradores de computador. E sem intervalos para os comerciais, de maneira que o público fica quase sem respirar, principalmente no terceiro ato. Quem já viu outros filmes recentes no mesmo formato, como CLOVERFIELD e DIÁRIO DOS MORTOS (este dirigido por George Romero) pode até pensar que REC é um plágio descarado. Podia até ser, caso o filme não estivesse já em fase de pós-produção quanto os dois filmes acima citados estavam começando a ser gravados. Isso confundiu os próprios realizadores espanhóis, como o diretor Jaume, que declarou o seguinte em uma entrevista a um site: “Não sabíamos nada sobre DIÁRIO DOS MORTOS ou CLOVERFIELD. Quando estávamos terminando o filme e mixando o som, começamos a receber informações sobre CLOVERFIELD e ficamos realmente chocados, pois não esperávamos que mais alguém estivesse fazendo esse tipo de coisa!”.

Ah, e esteja preparado para a “Menina Medeiros”, certamente uma das coisas mais assustadoras que o cinema de horror moderno mostrou, e que não deixa nenhuma saudade das já batidas fantasminhas cabeludas dos filmes de horror orientais.

Com o sucesso de REC, a produtora espanhola Filmax (que tem aqui seu primeiro clássico, após produzir bons filmes como O MAQUINISTA e REANIMATOR – FASE TERMINAL) já anunciou para breve uma inevitável seqüência, REC 2.

E para novidade segue o trailer de REC 2 !

Para comprar o dvd clique aqui 1#

Tags: , , ,

20 Respostas to “REC 2”

  1. Milo Says:

    Será que o filme é tudo isso, vou baixar e ver .

  2. Pedro Says:

    Eu já vi , é tudo isso mesmo, o melhor filme de terror que já vi !

  3. Lucas Says:

    é muito foda esse filme !

  4. Henrique Says:

    Eu gostei , mas não curti os efeitos especiais

  5. helio Says:

    Não viaja, os efeitos são otimos a mina do final é muito assustadora minha namorada não conseguiu dormir !

  6. Obwan Says:

    Nossa Nem me fala a mina do final me deixou cagado. imagina se fosse 3d . Tava todo mijado.

  7. Petrus Says:

    Se esse dois for metade do primeiro ta salvo, só falta os americanos quererem fazer um adaptação

  8. Che Says:

    A odiei a adaptação, o que é bom não precisa se refeito. Die Americans ! hahaha

  9. Guto Says:

    Nossa Nem me fala a mina do final me deixou cagado. imagina se fosse 3d . Tava todo mijado.(2)

  10. Felipe Says:

    Nossa Nem me fala a mina do final me deixou cagado. imagina se fosse 3d . Tava todo mijado.(3)

    heehe cara imagina?

  11. paulo Says:

    Mas ta tosco esse vídeo aí.

  12. Rob the Z Says:

    A mas o do promeiro no youtube era assim antes. Para parecer real.
    relaxa e goza bawwaaaa

  13. pasquali Says:

    O primeiro…. eheheh era assim .

  14. João Says:

    A sei lá, tenho medo de estragarem por causa de $. Deviam parar no 1º.

  15. Pedro Says:

    Que nada tem que ter o 2, muita coisa ficou sem explicar !

  16. Rodrigo Says:

    hahahahano segundo já vao chega metendo bala no %ú de todo mundo vai ser legal esse

  17. Pedro Says:

    Que filme de terror prendeu sua atenção ? tenta lembrar ? o filme é F-O-D-A ! e Ponto final. ehehe

  18. Babi Says:

    Fiquei assustada nesse filme, parecia real. Muito bom.

  19. Anonymous Says:

    Muito loko !

  20. thomas Says:

    MUITO BOM

    MAS NÃO ASSISTAM QUARENTENA ANTES DE REC,, PERDERÁ TODA A GRAÇA E TERROR DO FILME ORIGINAL

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: